X

Construtech Ventures

O que a sua startup deveria saber: 7 aprendizados que tivemos ao construir o maior mapa de construtechs do brasil.

O que a sua startup deveria saber: 7 aprendizados que tivemos ao construir o maior mapa de construtechs do brasil.

Janeiro, 31, 2018
Por George

O intuito desse post é apresentar algumas dicas que ajudem no posicionamento e marketing para novas startups que atuem na cadeia da construção. Mapa de Construtechs Quando começamos esse trabalho 11 meses atrás miramos em mapear 1000 construtechs e proptechs no mundo todo. Claro, não existem apenas 1000 startups, mas esse foi o primeiro passo […]

O intuito desse post é apresentar algumas dicas que ajudem no posicionamento e marketing para novas startups que atuem na cadeia da construção.

Mapa de Construtechs

Quando começamos esse trabalho 11 meses atrás miramos em mapear 1000 construtechs e proptechs no mundo todo. Claro, não existem apenas 1000 startups, mas esse foi o primeiro passo para contemplarmos as principais empresas inovando na cadeia da construção.

Desse número constatamos que 268 delas são brasileiras. Um número surpreendente em um país que está em profunda crise e que apresentou uma retração de 6% em 2017. Esse número vem crescendo nos últimos 5 anos o que demonstra que a necessidade abriu espaço para inovação.

É importante trazer um breve contexto: quando digo cadeia da construção me refiro desde a extração de insumos para a obra até a reforma e decoração de um imóvel já finalizado e vendido. Essa cadeia de valor também inclui o setor imobiliário, logo, proptechs. Leia mais sobre isso nesse post.

O próximo passo então foi estudar, categorizar e compilar cada uma das startups mapeadas.

Aprendizados

Nesse processo, identificamos erros recorrentes na comunicação e marketing das construtechs poderiam ter sido evitados pelos founders. Por isso reunimos 7 aprendizados e dicas na intenção de promover uma onda cada vez mais forte de construtechs.

 

1. Um nome simples, mas único, ajuda

Depois de estudarmos e avaliarmos centenas de startups, uma coisa ficou clara. Nomes de startups são intrigantes. Embora sejam uma peça chave em transmitir ou aludir à solução oferecida, muitas startups apostam num nome pouco prático.

Temos alguns bons exemplos de nomes no mercado que vão direto ao ponto  mas ainda assim se mantém únicos como: CoteAqui, QueroQuitar!, Permutando.com. Arrisco dizer que você já acertou a solução que elas entregam.

No entanto, vemos muitas vezes nomes tão óbvios que chegam a ser genéricos demais. Outras vezes são uma combinação de palavras americanizadas cujo produto final não conta a seu favor.

Um founder de uma startup que gostamos muito nos contou uma vez que tiveram que pivotar o nome da empresa devido à ser impronunciável para seus clientes no dia a dia. Para entender melhor: imagine que você está fazendo o pitch da sua startup, digamos QuoteHere – pelo telefone para um cliente que não fala inglês. “Côôterir?” você ouve do outro lado da linha e os próximos 5 min são você tentando soletrar o seu nome fantasia.

Por isso, invista em nomes claros e concisos que transmitam uma mensagem ou conceito para o seu público – lembre-se sempre de levá-los em consideração. Simplifique e a sua startup terá mais chances de estar na ponta da língua do seu investidor.

 

2. Conheça a competição

Muitas startups que conhecemos e conversamos, frequentemente, afirmavam não terem competidores. Na maioria das vezes essa afirmação é encarada com desconfiança pelo investidor.

Se você analisar o Mapa das Construtechs, perceberá que a grande maioria das categorias encontram-se bastante preenchidas. Por tanto, afirmar que você não possui competidores transmite certa ingenuidade. Vivemos num mundo de hipercompetitividade.

Um investidor não vai se assustar ao constatar que você tem competição. O que ele quer descobrir é como e porque você está muito mais apto do que o seu concorrente para preencher aquele mercado. Bancos de dados e listas como o Crunchbase, AngelList e CBInsights são ferramentas de pesquisa poderosas para tal  fim.

 

3. Explique bem o problema que você resolve e a sua solução

Conhecemos inúmeros founders que focam demasiado em sua solução e pouquíssimo no problema que se propõem  a resolver. Já ouviu falar numa “solução procurando  problema?” A isso que me refiro.

Entendemos que uma ideia inovadora precisa estar acompanhada de um problema importante que impacte muita gente. Esse tipo de configuração ajuda a alavancar o sucesso da startup. Em outras palavras, se você acerta num mercado grande as chances de você ganhar muito dinheiro são maiores.

Informações como o tamanho de mercado  (TAM), grau de dor do cliente e escalabilidade do produto variam de problema  para problema. Empreendedores que não detém essas  informações  ou  falham em transmiti-las no pitch, muitas vezes podem perder uma oportunidade de aporte.

 

4. Conheça seu cliente

Como mencionado antes, qualquer solução visa resolver a dor de alguém.  Dessa forma o  empreendedor precisa conhecer seu cliente, mais do que ele conhece a si mesmo.

Diversas vezes, quando esbarramos em uma startup em estágio inicial, seja desenvolvendo seu MVP ou validando sua hipótese, percebemos pouco foco em validar com o cliente e mais em sonhar a ferramenta perfeita. Conhecer exatamente quem é o seu cliente vai te ajudar a mostrar para o seu possível investidor porque a sua startup encontrou uma oportunidade única.

Uma forma de evitar isso é ter sempre a resposta para algumas perguntas chave:

 • Para quem você está criando valor?
 • Quem é o cliente pagante?
 • Quem é o usuário?

Pense nas personas que compõe os seus clientes, procure ser o  mais específico na descrição deles. Caracterize cada segmento: demográfico, financeiro, comportamental, etc.

Claramente, existem diversas outras respostas que o investidor vai buscar. O ponto aqui é: seja direto e evite vender uma ferramenta perfeita. Traga o núcleo e mostre que seus clientes realmente acreditam nela.

 

5. A primeira impressão importa

É claro que conhecendo apenas o logo e site de sua startup nenhum investidor vai lhe entregar um cheque. No entanto, o seu site frequentemente é o primeiro ponto de contato entre você  e um possível investidor ou cliente. Portanto, é o seu cartão visitas.

Um site pouco profissional ou feito às pressas, frequentemente passa uma visão amadora à quem quer que esteja olhando. Mas a solução está longe de ser só investir na aparência do site.   Um dos grandes problemas que vimos durante a análise de dezenas de startups foi: não era possível entender o que a startup fazia.

Por mais que a sua solução seja complexa, a não capacidade de sintetizar o que a sua startup faz e qual a sua proposta de valor, leva o  investidor a concluir o que ele quiser. Pior ainda, pode passar a ideia de que seu modelo ainda não está definido ou seu cliente potencial não converter, por não entenderem a solução.

 

 

6. Mas é o valor gerado que conta no final

Pode  parecer que estamos insinuando que para atrair o investidor, o foco da startup deve ser estética e marketing. Isso não poderia estar mais longe da verdade.

No Construtech Ventures, assim como outros venture capitals, vamos muito além disso.
Olhamos para startups que já possuem pelo menos um MVP e entendem muito bem qual a dor do cliente buscam resolver.
Em outras palavras, só site bonito não vai gerar deal. Portanto, lembre-se de ir direto ao ponto. Mas se você puder fazer isso com uma boa apresentação e visuais apelativos, ninguém vai reclamar.

 

7. Ainda existe muito oceano azul

Por fim, esse é o aprendizado mais importante dentre  todos. E é o mesmo motivo por trás do nosso braço venture builder. A cadeia da construção e o setor imobiliário estão entre os mais defasados e ineficientes dentre todos os mercados.

Existem milhares de oportunidades para se atacar. percebemos que, embora existam algumas categorias de solução extremamente populosas, as proptechs e construtechs que estão por surgir têm muito potencial.

Conclusão

Se você quer tirar seus próprios aprendizados, não deixe de dar uma olhada no nosso Mapa de Construtechs. E se quer entender mais sobre o que a Construtech Ventures está fazendo dê uma olhada no nosso site.

aaaaa

Tem uma ideia de negócio ou uma startup no setor e busca um sócio para crescer? É investidor e acredita no potencial de um dos principais setores da economia?

#MakeConstructionGreatAgain
Se você se identifica com o nosso propósito, deixe seus contatos e vamos conversar!