X

Construtech Ventures

Realidade Virtual: uma das tendências em tecnologia para o setor de construção e imobiliário

Realidade Virtual: uma das tendências em tecnologia para o setor de construção e imobiliário

Fevereiro, 13, 2018
Por Bruno

Quando era mais novo, eram inúmeros os filmes produzidos em Hollywood que traziam a ficção científica como base para seus roteiros inspiradores e futuristas. Clássicos como Minority Report, Avatar e Matrix conquistaram o público abusando dos elementos tecnológicos, trazendo em suas histórias uma convergência entre o mundo real e o virtual. O que até pouco tempo era roteiro de […]

Quando era mais novo, eram inúmeros os filmes produzidos em Hollywood que traziam a ficção científica como base para seus roteiros inspiradores e futuristas.

Clássicos como Minority Report, Avatar Matrix conquistaram o público abusando dos elementos tecnológicos, trazendo em suas histórias uma convergência entre o mundo real e o virtual.

O que até pouco tempo era roteiro de cinema, começa a fazer parte de nosso cotidiano por meio da evolução da tecnologia de realidade virtual (VR Virtual Reality).

Mas como a cadeia da construção e imobiliário pode se beneficiar da onda de Construtechs que estão usando essa tecnologia para melhorar a eficiência dessa indústria? Responder essa pergunta é o objetivo desse artigo.

O que é Realidade Virtual? 

Criada nos anos 70, a realidade virtual é uma tecnologia de interface com potencial de “enganar” os sentidos de um usuário utilizando elementos capazes de formar um ambiente virtual, gerado a partir de um sistema computacional.

Utilizando de efeitos visuais, táteis, sonoros, a realidade virtual busca proporcionar uma completa imersão em um ambiente digital simulado.

Ok, isso não diz muita coisa, por isso recomendo o video abaixo do blog Nerdologia onde traz uma explicação bastante completa e didática sobre os principais conceitos envolvidos nesse universo.

Existe ainda a Realidade Aumentada e a Mista

É muito comum quando se pesquisa sobre realidade virtual, você encontrar outras expressões como realidade aumentada (AR — Augmented Reality), ou mesmo realidade mista (Mixed Reality). Se você compreendeu a lógica da realidade virtual, entender esses dois conceitos será mais simples.

Enquanto o objetivo na realidade virtual é trazer a pessoa (elemento real) para imersão em um ambiente simulado (virtual). Na tecnologia de realidade aumentada o intuito é o contrário, a busca é por trazer elementos digitais projetados em um ambiente real.

No geral, três elementos caracterizam a realidade aumentada:

  •  combina elementos virtuais e reais
  •  proporciona interação em tempo real
  •  concebida em três dimensões

 

O exemplo mais clássico e atual é o bem sucedido projeto Pokemon Go onde através de um smartphone os usuários conseguem caçar seus pokemons a partir da projeção virtual sobre um ambiente real.

Para quem quiser melhor entender essa lógica, recomendo o video abaixo explicando o funcionamento do famoso game da Nintendo.

 

Entendendo a realidade virtual e aumentada, fica intuitivo compreender ao que se refere a realidade mista. Basicamente, uma combinação de elementos virtuais interagindo com elementos reais.

A imagem ao lado demonstra o conceito de realidade mista como uma zona de interseção capaz de representar elementos humanos, computacionais interagindo com o ambiente.

Em outras palavras, a realidade mista fica no meio do caminho entre a realidade virtual, que traz a pessoa para um completo ambiente computacional; e a realidade aumentada que traz os elementos digitais para um ambiente físico.

Um bom artigo sobre essa tecnologia pode ser visto na página de Pedro Ambrozim — Realidade Mista

Como a realidade virtual / aumentada / mista podem ajudar o segmento construtivo?

Um setor marcado pela ineficiência e desperdício, com certeza apresenta inúmeros problemas que de alguma maneira podem ser resolvidos e/ou atenuados com a implementação de soluções que usem a realidade virtual como base.

Já existem inúmeras Construtechs e Proptechs buscando trazer a tecnologia de realidade virtual / aumentada / mista para o dia a dia do setor de construção e imobiliário. Abaixo listei algumas das formas mais viáveis e já com soluções emergentes:

Design de projetos: Através da realidade virtual é possível fazer uma imersão, simular diferentes conjuntos de elementos, expressar melhor o conceito junto ao cliente, e com isso antecipar vários problemas que seriam observados apenas durante a execução.

Experiência ao cliente: Conseguir demonstrar ao cliente o conceito por trás de um projeto é sempre um desafio. Como leigo, olhar aquelas plantas arquitetônicas ou mesmos os projetos em 3D, não proporciona ao cliente a real interpretação que o projeto se propõe. Com a simulação em um ambiente virtual, o cliente poderá se visualizar na habitação e solicitar os ajustes relevantes, muito antes da obra ser executada.

Manutenção: Sabe aquela situação onde você precisa fazer um furo na parede mas não tem certeza se ali passa alguma tubulação? Com a realidade aumentada será possível trazer as informações de projeto e instruções de manutenção para o contexto adequado. Você conseguirá olhar para sua parede, visualizar onde a tubulação está passando, e ainda ter outras instruções relevantes para a melhor execução do trabalho.

Treinamento: A atividade de engenharia é repleta de tarefas técnicas e atividades de risco que demandam prática e simulação para o desenvolvimento das habilidades do trabalhador. Contudo, em alguns casos é difícil simular as condições reais do trabalho, durante um curso e/ou treinamento. Com a realidade virtual, é possível simular os cenários desejados e permitir ao profissional desenvolver suas habilidades em um contexto muito próximo do que irá encontrar no dia a dia.

Tour virtual nos imóveis: Sem dúvida uma das etapas fundamentais na jornada de contratação de um imóvel é a visita. Por mais que imagens ajudem a filtrar o desejo inicial, é quando visitamos um imóvel que conseguimos nos visualizar nele e conferir seus mínimos detalhes. É nesse ponto que a realidade virtual pode, com o tempo, chegar a um grau de perfeição capaz de permitir as pessoas, se “sentirem” visitando o imóvel, sem precisar sair de suas casas.

Projetos de Decoração: Todo mundo já passou pela dúvida sobre comprar ou não um móvel para mobiliar a sala, escolher a cor certa para pintar as paredes e harmonizar o ambiente, ou mesmo conseguir melhor dimensionar como objetos decorativos podem ser combinados em determinado ambiente. Com a realidade aumentada é possível, a partir de uma biblioteca de objetos, visualizar diferentes combinações antes de se efetuar uma compra ou modificação no ambiente.

Dispositivos de realidade virtual

Uma peça importante no desenvolvimento da tecnologia são os devices responsáveis por permitir a imersão do usuário no ambiente virtual.

A cada ano novos modelos são lançados, e maior é a capacidade de reproduzir os estímulos necessários para se provocar a melhor experiência possível.

No geral os modelos combinam uma espécie de óculos de realidade virtual com controles manuais que permitem ao usuário interagir com os objetos digitais visualizados, conectados a computadores ou celulares responsáveis pelo processamento.

HTC Vive: Um dos dispositivos com maior capacidade de reproduzir o ambiente de realidade virtual, foi lançado em 2015. O HTC Vive chegou ao mercado a um preço de $ 799,00, possui alta qualidade de imagem, e reproduz com alta fidelidade ambientes 3d projetados no aparelho. Recentemente anunciaram a versão Pro com intuito de conquistar o cliente corporativo.

 

Oculus Rift: Um dos precursores da nova geração de devices para realidade virtual, chamou atenção do mercado com a precoce aquisição realizada pelo Facebook em 2014. A um preço de $ 599,00 o dispositivo disputa a liderança em vendas no segmento, brigando com HTC e Sony por clientes fãs da tecnologia.

Hololens: Desenvolvido pela Microsoft ainda em uma modalidade beta teste, o projeto foi disponibilizado a desenvolvedores em 2016 a um preço de $3.000,00. O dispositivo permite ao usuário colocar o equipamento em sua cabeça e visualizar dados digitais sobrepondo o ambiente físico, conseguindo ter uma experiência de realidade aumentada. Abaixo você pode visualizar um case do equipamento sendo utilizado no mercado de engenharia.

 

HP VR Backpack: Um dos mais recentes lançamentos veio da HP que anunciou no ano passado seu device para realidade virtual. Basicamente uma combinação de um óculos de realidade, ligado a um computador com alta capacidade de processamento que pode ser vestido como uma mochila por qualquer profissional, concebendo maior flexibilidade e mobilidade para uso em diferentes ambientes.

 

A startup Holobuilder, umas das empresas que vem explorando a tecnologia, produziu o quadro abaixo trazendo uma análise comparativa dos principais devices disponíveis no mercado.

Maiores detalhes sobre o quadro disponível nesse link

Construtechs e Proptechs pelo mundo aplicando realidade virtual 

São muitas as startups que já trabalham com a tecnologia de realidade virtual para resolver problemas da cadeia da construção e imobiliário. Abaixo listamos algumas das principais:

Holobuilder: A startup americana permite a documentação dos projetos em 360º aumentando a capacidade dos profissionais acompanharem a evolução da obra e se comunicarem com os demais envolvidos. A solução possibilita acesso aos projetos por meio de computadores, dispositivos celulares, e também óculos de realidade virtual.

Fuzor VR: A empresa buscou criar uma solução que permita converter arquivos 3D gerados em software como Revit em um ambiente de realidade virtual, a baixo custo e sem a necessidade de conhecimentos avançados de renderização.

 

FUZOR VR — Solução focada em simplificar a conversão de arquivos 3D em VR

Iris VR: Outra startup que aposta na aplicação de VR em projetos de engenharia e tours virtuais para imóveis. A solução permite aos usuários converterem arquivos Revit / Scketch up / FBX em arquivos virtuais que permitem a imersão do usuário a partir de óculos de realidade como Rift ou HTC Vive.

 

Matterport: A empresa desenvolveu uma câmera com alta qualidade de imagem e capacidade de captura, e um software capaz de compilar as imagens geradas construindo os ambientes virtuais em poucos passos.

 

Hutch: A startup trouxe a realidade aumentada como ferramenta para permitir ao usuário do app visualizar móveis e objetos de decoração sobrepostos a fotos do ambiente real, permitindo uma prévia visualização do ambiente decorado. Assim, o usuário pode simular diferentes combinações para seu ambiente a partir da biblioteca de objetos fornecidos pela solução.

EnVisite: Startup francesa que permite a um usuário comum capturar imagens e gerar tours virtuais para anunciar seus imóveis. A ferramenta permite ainda a corretores conduzirem apresentações remotas do imóvel utilizando a plataforma para conduzir o cliente pela experiência de visita virtual dos imóveis. Dados gerados com o comportamento do usuário possibilitam ao corretor e/ou proprietário tomar novas ações e melhor qualificar os leads.

 

No Brasil as Construtechs também já exploram o uso da realidade virtual

Muitas das soluções globais que estão explorando a tecnologia de realidade virtual na cadeia da construção e imobiliário já desembarcaram por aqui, e estão facilmente disponíveis.

Vemos através de nosso trabalho no Construtech Ventures que muitas startups brasileiras também já exploram a tecnologia e buscam criar suas soluções para conquistar seu espaço de mercado.

Algumas das startups brasileiras explorando a tecnologia no setor:

  • ImersioVR
  • Atmmos
  • VirtualLight
  • MeuPasseioVirtual
  • Studio360º
  • VisiteImóveis
  • Comunica3D
  • iTeleport
  • Nexo
  • Beenoculus

No geral, as soluções que nascem por aqui apresentam as mesmas características do que temos visto lá fora. O desafio é que as barreiras para evolução da tecnologia no Brasil são ainda maiores em virtude do mercado ser muito menor do que o americano e os custos com equipamento bem mais elevados.

O que esperar para o futuro da realidade virtual no setor de construção?

É inegável que a tecnologia de realidade virtual / aumentada / mista irá gerar muito valor para o setor de construção e imobiliário. Suas aplicações podem melhorar os índices de produtividade do segmento, reduzir custos, melhor a experiência do cliente, aumentar a qualidade dos projetos.

No entanto, vale lembrar que é uma tecnologia emergente e ainda tem bastante a se desenvolver.

Umas das principais referências usadas para se identificar as tendências tecnológicas é o HypeCycle da empresa Gartner. Em 2015 a tecnologia de realidade virtual era apontada como uma tendência de longo prazo.

Em 2015 VR ainda era uma tendência de longo prazo 5–10 anos

Contudo, mais de $2 bilhões de dólares foram investidos em startups do setor. Novos devices estão sendo lançados, e em 2017 as vendas atingiram a marca de 1 milhão de aparelhos, o que mostra uma evolução na taxa de adoção. No último ano o HypeCycle já mostrava VR como uma das tecnologias que no horizonte de 2 a 5 anos deve entrar em seu momento de plateau e se consolidar.

Conclusão

Espero nesse artigo ter melhor esclarecido como a tecnologia de realidade virtual pode impactar positivamente o setor de construção e imobiliário.

Construtechs e Proptechs pelo mundo estão adotando a tecnologia e buscando trazer ao mercado soluções que resolvam problemas reais de seus clientes.

É natural esperar que no Brasil seu desenvolvimento seja mais lento e comedido nos próximos 5 anos, mas é inevitável que o mesmo ocorra em menor ou maior tempo.

Aos empreendedores que se aventuram nesse mercado, acredito que há dois caminhos promissores:

  1. O primeiro é não focar em um nicho muito restrito, pois a velocidade de adoção esperada para o Brasil não irá sustentar uma curva de crescimento realmente relevante. Ser uma empresa de VR que atue em diferentes tipos de mercados pode ser um bom caminho para conquistar os early adopters de diferentes setores.
  2. O segundo caminho, é mais ousado. Não comece seu negócio olhando apenas para a necessidade do mercado brasileiro. Busque resolver um problema global. São inúmeras as necessidades que o setor de construção e imobiliário tem, entenda onde que a tecnologia de realidade virtual pode gerar valor em uma escala global. Se conquistar “apenas” os early adopters do planeta, com certeza terá um negócio crescendo em uma velocidade bastante interessante.

No Construtech Ventures acreditamos no potencial da tecnologia. Buscamos investir em negócios que resolvam problemas reais do segmento, e quem conseguir criar soluções que tenham aplicação em grandes mercados terá muita chance de ser bem sucedido. Nesse caso, pode contar conosco.

Grande abraço!

Email: loreto@construtechventures.com.br

Linkedin: https://br.linkedin.com/in/brunoloretocandido

Site: www.construtechventures.com.br

aaaaa

Tem uma ideia de negócio ou uma startup no setor e busca um sócio para crescer? É investidor e acredita no potencial de um dos principais setores da economia?

#MakeConstructionGreatAgain
Se você se identifica com o nosso propósito, deixe seus contatos e vamos conversar!